Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Lenda Cherokee

por Norma, em 23.04.12

 

 

 

 

Há muito, muito tempo, as árvores e os animais eram capazes de falar uns com os outros. Viviam juntos e partilhavam muitas coisas. Mas todos os anos, quando o tempo frio vinha, os pássaros tinham de voar para sul, de onde regressavam apenas na Primavera quando a estação quente voltava. Certa vez, quando a estação fria se aproximava o Pardal feriu-se. Não tinha força suficiente para voar e a sua família teve de partir sem ele. Como estava ferido, tinha de arranjar um bom abrigo para passar o Inverno. Por isso decidiu pedir ajuda às árvores. Aproximou-se do Carvalho: "Oh Carvalho, estou ferido e não posso voar. A estação fria aproxima-se e se eu não encontrar refúgio antes, certamente não sobreviverei. Por favor, abriga-me entre as tuas folhas e galhos durante o tempo frio". Mas o Carvalho, um velho mal-humorado, não gostou da ideia de ter um hóspede durante o tempo frio, e respondeu-lhe: "Procura outro lugar. Não quero passar o Inverno contigo.”

O pobre Pardal, desconsolado, foi então ter com o Ácer e pediu: "Ácer, estou ferido e não posso voar para as terras quentes com a minha família. Por favor, abriga-me entre as tuas folhas e galhos durante o tempo frio, ou certamente morrerei.

 

O Ácer, apesar de ser uma árvore muito doce, não gostou da ideia de passar o Inverno com ele e também recusou ajudá-lo. Novamente se afastou o Pardal muito triste. Às outras árvores repetiu o seu pedido mas, uma a uma, todas recusaram. Olhando em volta, já só faltava pedir ao Pinheiro.

Sem esperança, mas não querendo desistir, dirigiu-se ao Pinheiro: "Pinheiro, estou ferido, e não posso voar para sul, para as terras quentes. Se não encontrar abrigo antes do tempo frio, vou certamente morrer... Por favor deixa-me abrigar entre as tuas folhas e ramos durante o tempo frio!"

O coração do Pinheiro ouviu o Pardal: "As minha folhas são minúsculas, meras agulhas… Não tenho tantos ramos como as outras árvores... mas o que tenho, de bom grado partilharei contigo". E assim, o Pardal passou o Inverno com o Pinheiro.
Quando regressou a Primavera, os pássaros voltaram. O Pardal, já curado, voou para cumprimentar a sua família.

 

 

O Criador, que assistira a tudo, convocou então um grande conselho de Árvores e disse-lhes: "Vós, a quem foi dado tanto... que tinham tanto… nada partilharam com o pobre Pardal. Por isso, a partir deste dia, quando o tempo estiver frio, as vossas folhas murcharão, morrerão e serão levadas pelo vento."

Depois virou-se para o Pinheiro: "Pinheiro, tu, que tinhas menos para oferecer, deste tanto e comoveste-me. Quando o frio chegar, as tuas folhas não cairão e permanecerão verdes em todas as estações do ano como reconhecimento pelo teu nobre gesto."
E é por isso que, até hoje, quando o tempo frio chega à terra, as folhas murcham, morrem e são sopradas pelo vento ... excepto as do pinheiro.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:17


Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Posts mais comentados


Arquivo

  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2013
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2012
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2011
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2010
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D

Links

Politica de Privacidade

Poemas

Cartões (Como fazer)

Clipart